terça-feira, 24 de março de 2009

Enfim o jazz!



Depois de fazer um "city tour" pela manhã e almoçar muito bem no Restaurante "La Bisteca", fui tentar encontrar o jazz porteño para iniciar a minha programação noturna.
Orientado pelo leitor Edu (um grande conhecedor e "comentarista" em vários blogs de jazz) eu havia levado umas dicas que o excelente "Clube de Jazz" publicou há tempos sobre o assunto; algumas casas estavam fechadas, noutras o tipo de música não era bem o que eu queria e o meu tempo era pouco para explorar todos os locais prováveis.
Então, e lá não tem erro, fui direto para o Thelonius Club, que fica no bairro Palermo. E fiquei satisfeito: o show da noite de sexta-feira foi abrilhantado pelo trio do pianista NICOLAS GUERSCHBERG que, segundo informações do programa, integra também o sexteto de jazz "Escalandrum" e já realizou turnês pela Bélgica, Holanda, Espanha, Japão e até no Brasil.
Ele também fez orquestrações e arranjos para a adaptação do musical "Cabaret", atualmente em cartaz em Buenos Aires. Naquela noite ele apresentou os temas de seu próximo CD "Encuentro" junto com os músicos MARIANO SIVORI (contrabaixo) e DANIEL "pipi" PIAZZOOLLA (bateria).
Fiquei muito bem impressionado com a qualidade do som e das músicas, quase todas tocadas em compassos compostos ( 7/4, 9/8, etc.) . Depois do show ainda fui jantar num grande restaurante perto do hotel.
Nota: Eu fiquei tão distraído com a música e o ambiente que, acreditem, até me esqueci de fazer uma foto desse evento.

A manhã de sábado foi dedicada a um passeio e (poucas) compras na calle Florida - todo mundo vai lá, né? - e dali, fui direto para o "Caminito" ver/ouvir mais um pouco de tango & dança; adoro aquilo lá. Um ambiente descontraído, animado, com um grande movimento de turistas de todo canto, uma festa!
Passei lá quase toda a tarde, saboreando algumas "Quilmes" e um delicioso "pomo" (uma carne com menos gordura - acho que equivale ao nosso filé mingnon) e apreciando os diversos bailarinos que se revezam em apresentações de tango e de músicas folclóricas regionais. Uma maravilha!
À noite, já descansado, e pra não arriscar, lá fui de novo pro "Thelonius"; dessa vez, o show ficou a cargo do grupo de RICARDO CAVALI, saxofonista e compositor, acompanhado por MIGUEL TARCIA e MARCELO GUTFRAIND (guitarras), JERONIMO CARMONA (contrabaixo) e CARLOS BRANDON (bateria). Eles apresentaram as músicas originais do CD recém lançado "Trinidad", tocando com formações diferentes (ora em trio, ora em quarteto ou quinteto) explorando novas sonoridades do jazz contemporâneo.
O show estava também sendo filmado, o que atrasou e complicou um pouco a arrumação no palco no 1º set; na segunda parte, retirada a parafernália da gravação, a coisa ficou mais relax. Confesso que o estilo não é dos meus favoritos, mas os músicos são competentes e fizeram belos solos e improvisos.
Desta vez me lembrei de registrar os músicos em ação. (fotos acima)
Resumindo, foram duas ótimas noites em que conheci um pouco do jazz tocado na Argentina; tudo considerado, a primeira noite me agradou mais.

No domingo, só pra variar, liguei para o "Virasoro Bar", que também costuma programar shows de jazz de quarta a domingo; mas naquela noite não haveria música ao vivo. Que pena...
Ficou pra próxima vez. Mas eu já estava satisfeito pelo que consegui ver/ouvir no curto espaço de tempo de que dispunha.
Me despedi passeando no animado calçadão do Village Recoleta - aonde havia um jovem grupo de músicos tocando seus violinos - e sorvendo mais umas poucas cervejas argentinas. Fui dormir mais cedo, pois iriam me buscar no hotel antes da 7h para o meu voo de volta.

*****


6 comentários:

edú disse...

Esse é o seu Olney.Vai para Buenos Aires perseguir o jazz,nada de tango.Um verdadeiro amante da nobre arte como diriam os comentaristas de um eminente blog de jazz em acelerado processo de inanição.Me disseram q o mercado argentino tem recebido lançamentos da Blue Note a custo - vertido para nossa moeda - por volta de 25 reais.O último do Joe Lovano lançaram lá.

Vitor disse...

Jazz além fronteiras... E o tango?!..rs... El caminito entrou no tour tb né?! Deve ter sido bom demais!!! Dizem que as livrarias argentinas são um caso à parte também! Eu como amante da leitura me deliciaria...

Abraços!!!

figbatera disse...

Pois é, amigos; deu pra dividir o tempo e provar um pouco de cada estilo.
Só não deu, desta vez, pra conhecer nenhuma livraria.

Dani Benaion disse...

Olá! Que passeio bacana heim?!
É isso aí!
Mas eu passei mesmo por aqui para pedir para hoje a noite vc apagar as luzes por uma hora (das 20:30 as 21:30). É nosso protesto contra o aquecimento global.
Biólogo não perde uma ;)
Beijão!

Sandra Leite disse...

Desde que fui a primeira vez para Buenos Aires, sinto compulsão em voltar. É uma magia aquela terra, a musica, a literatura , o tango, a culinária e...o amor! Em Buenos Aires tenho paixão por San Telmo. Me sinto em casa, podem me abandonar por lá...
Volto em abril ou maio;)
Ah, passa dicas de jazz, eu nunca fui lá.
beijos

John Lester disse...

É. Dizer o que?

Grande abraço, JL.