segunda-feira, 13 de julho de 2009

Um ótimo evento no Rio

A pedido da colega blogueira Valéria Martins publico abaixo o release de um importante evento por ela produzido ao qual eu, infelizmente, não poderei assistir, pois só estarei no Rio na última semana deste mês.
Mas convoco os meus amigos cariocas e os que estiverem no Rio no próximo dia 16: NÃO PERCAM!

Lady sings the blues – 50 anos da morte de Billie Holiday

Há 50 anos — no dia 17 de julho de 1959 —, o mundo perdia Billie Holiday, uma das maiores cantoras de todos os tempos. Com seu jeito intimista de interpretar — nunca cantava uma mesma música da mesma maneira — revolucionou os vocais do pop e do jazz norte-americanos.

Para celebrar a alma dessa artista, o jornalista Roberto Muggiati dará a palestra "Lady sings the blues" no Espaço Telezoom, contando desde a infância pobre em Baltimore até a glória nos palcos e a ruína por causa das drogas. Com a exibição de interpretações antológicas de Lady Day (apelido dado pelo amigo saxofonista Lester Young) no telão.

Roberto Muggiati nasceu em Curitiba e é jornalista desde 1954. É autor dos livros "O que é jazz"; Blues: da lama à fama; Improvisando Soluções – O Jazz como exemplo para alcançar o sucesso e Rock – O grito e o mito, publicados na Espanha, México e Argentina, entre outros títulos. Colabora regularmente para o caderno cultural da Gazeta do Povo de Curitiba escrevendo sobre música e cinema.

Dia 16 de julho, quinta-feira, 20h

Espaço Telezoom – Rua Dias Ferreira, 78/301, Leblon
Tel.: (21) 3435-1617
Ingresso: R$ 20,00 (meia entrada para estudantes)

*****

10 comentários:

Valéria Martins disse...

MUITO OBRIGADA, FIG! VALEU MESMO!!!

Espero que encha de gente, bons ouvintes de música.

Beijos e um forte abraço!

Érico Cordeiro disse...

É isso aí, Fig e Valéria,
Tomara que dê muita gente e que seja um grande sucesso.
Um fraterno abraço aos dois!

figbatera disse...

Pois é; um bela iniciativa que merece todo o apoio dos amantes da música!
O Muggiati é um grande conhecedor do assunto. Por coincidência, estou relendo o "Improvisando Soluções, seu último e ótimo livro.

Miguel Ângelo disse...

Olá
Antes de mais nada, parabéns pelo blog. Aqui cheira mesmo a bateria.
A minha curiosidade, e por isso lhe escrevo, é saber quais são para si os mais virtuosos bateristas da actualidade. E não me refiro só ao jazz...

Um grande abraço do lado de cá do atlântico.

figbatera disse...

Obrigado pela visita d'além mar!
Gosto muito de alguns vídeos que vc coloca em seu blog.
Quanto aos bateristas, eu prefiro não nomear alguns; são tantos ótimos e a cada dia me surpreendo descobrinho outros que fica muito difícil distingui-los.
Um abração!

olmiro muller disse...

Caro Olney

É a primeira vez que visito seu blog e constato que ele nada deve aos congêneres. Parabéns!

Fiz um comentário sobre Nat Cole, no Jazzigo, e você quiz saber o que significava "bob". Salsa deu a resposta: foi erro de digitação mesmo. Eu queria escrever "bop", mas o dedo não obeceu ao cérebro e foi em cima do "b". Você concorda comigo que Nat Cole poderia ter sido um bom pianista na linguagem bebop? Abraços.

Olmiro Muller
Porto Alegre - RS

figbatera disse...

Claro, Olmiro, concordo sim. Mas eu gosto de ouvi-lo de qualquer jeito, com aquela elegância e aquela voz inimitável!

Sergio disse...

Caro, Fig, conforme o recem prometido lá no Érico, aí está o linl pro Roy Haynes:

http://www.4shared.com/file/119035207/77323a31/Roy_Haynes__Out_of_the_Afternoon__1962.html

Nem precisa agradecer, se fores lá nos comments do Érico entendes tudo. Abraços.

figbatera disse...

Valeu, Sergio!
Abração!

Salsa disse...

Grande fig,
estou mexendo na agenda. Já fez reserva para Ouro Preto?